cláudia santa rosa (70)Os trabalhos da educadora norte-rio-grandense Cláudia Sueli Rodrigues Santa Rosa visam um propósito primordial: transformar. Nascida em Natal, no dia 9 de abril de 1971, mas naturalizada no município de João Câmara, 70 Km da capital, ela atribui a sua mãe e avó materna as suas principais referências de valores e dignidade. De família muito simples e vivendo em João Câmara foi alfabetizada antes mesmo de ingressar na escola formal, através das chamadas “professoras particulares”. Desde os sete anos, estudou em escolas das redes municipal e estadual. Em 1988, concluiu o curso de Magistério – o ensino médio profissionalizante. Em 1989, fez o concurso público para o magistério da rede estadual, assumindo as suas atividades docentes em março de 1990, numa das escolas que havia estudado. Casada com Hélio de Menezes Santa Rosa, em 1991 ela passou a residir, definitivamente, em Natal.

De 1991 a 1997, Cláudia trabalhou na Escola Estadual Professor João Tibúrcio, localizada na capital potiguar, no bairro do Alecrim, instituição que ela costuma dizer que lhe serviu de laboratório para fecundas experiências na área de educação, especialmente para a formação política. Em 1995 colou grau superior no Curso de Formação de Professores para o Magistério das Séries Iniciais, pela então Universidade Regional do Rio Grande do Norte, convênio com o Instituto de Formação Superior Presidente Kennedy, quando já atuava em sala de aula. Em 1996, ajudou a fundar a Cooperativa de Professores do Rio Grande do Norte e a Escola Freinet, dirigindo esta última durante os seus quatro primeiros anos, num projeto político-pedagógico que envolveu o compromisso com a inclusão de crianças de diferentes estratos sociais.

Apaixonada pelos estudos e focada na sua qualificação profissional, em 1999, concluiu a pós-graduação em Psicopedagogia, na primeira turma da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Cinco anos depois, concluiu o seu Mestrado em Educação, também na UFRN, com uma dissertação a partir dos seus estudos sobre a pedagogia Freinet nos anos finais do ensino fundamental. Em seguida, iniciou o Doutoramento em Educação, realizando estágio de seis meses na Universidade do Porto – Portugal e a pesquisa na Escola da Ponte, instituição pública de referência daquele país. Em abril de 2008, defendeu a sua tese de doutorado, recebendo conceito máximo e indicação para publicação do texto.

De junho de 2006 a janeiro de 20015 coordenou o projeto pedagógico de revitalização da Escola Estadual Hegésippo Reis, no bairro Nova Descoberta, instituição que, para alguns, já nos primeiros três anos, foi considerada referência. Porém, Cláudia recusava-se a aceitar tal idéia, preferindo dizer que se tratava de uma escola que desenvolvia um projeto em estágio embrionário. O projeto político-pedagógico “Casa de Saberes”, idealizado por Cláudia e implementado na escola, preconiza a formação na cidadania, a inclusão educacional, o protagonismo infantil e a participação da família no ambiente escolar. Em curva crescente, o projeto apresenta resultados efetivos na rede estadual de ensino, alcançando em 2017 o Índice de desenvolvimento da educação Básica (IDEB) mais alto do estado do Rio Grande do Norte.cláudia santa rosa (62)

Paralelamente aos seus estudos, Cláudia passou a fomentar o controle social e a parceria público-privada para transformações positivas para a Educação, partindo do princípio que todas as crianças e adolescente têm direito a uma escola pública de qualidade. Neste campo, a sua atuação tem se dado por meio da organização não governamental Instituto de Desenvolvimento da Educação (IDE), fundada por ela e outros educadores, em 2004. O IDE, que já foi merecedor de voto de louvor da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, tem seus projetos reconhecidos pela credibilidade e pelo trabalho efetivo de mudança social nos contextos em que atua. Em 2008, a educadora também ajudou a criar duas redes de mobilização: a Rede de Promoção da Leitura no Norte-Nordeste e a Rede Nacional de Educadores Românticos Conspiradores. Além do IDE, Cláudia também é associada do Instituto Brasileiro de Estudos, Pesquisa e Formação para a Inovação Social (Ibepis). Influenciada pelo compromisso do seu marido com o voluntariado, também integra um clube de serviços, o Lions Clube de Natal Reis Magos onde, por vários anos, presidiu a Comissão de Educação.

A participação efetiva em causas sociais tornou Cláudia inspiradora, assim como outras mulheres representativas do Brasil, do músico austríaco, Gottfried Schmid, que é professor de música na cidade de Lintz (Áustria) e foi professor substituto na Orquestra Sinfônica e na Filarmônica de Viena. Ele compôs um repertório no piano e gravou um CD para brasileiras engajadas em ações de transformações sociais. Em Natal, dez mulheres foram incluídas no projeto denominado “Mulheres Líderes no Brasil”. A música, inspirada em Cláudia, representa sua luta em prol de uma Educação de qualidade.cláudia-santa-rosa-22-e1548285003352.jpeg

Em 2015, Cláudia sentiu-se segura para trocar a Hegésippo Reis pela Escola Estadual Dr. Manoel Dantas, no bairro de Tirol, em Natal. A instituição tinha sido fechada e, arbitrariamente, desmontada, no final de 2014. A partir da mobilização de uma pequena comissão da Escola, Cláudia envolveu-se na luta e assumiu o compromisso com o governador do estado que acabara de assumir de que se a escola fosse reaberta implantaria uma experiência baseada em sua tese de doutorado, na linha do projeto da Hegésippo Reis. A escola foi reaberta e assim nasceu o “Esquina do Conhecimento”, o projeto da Manoel Dantas em tempo integral, que saiu de um IDEB 2,5 para 5,8 em 2017.

Durante quase três décadas de atividades em educação, Cláudia acumula experiências de coordenar projetos desenvolvidos em escolas públicas, consultorias e assessorias pedagógicas para instituições particulares, governamentais e não-governamentais, além ministrar palestras, cursos e oficinas pedagógicas voltadas para a formação continuada de profissionais da educação.

As suas idéias podem ser conferidas em uma série de artigos publicados em jornais, revistas, capítulos de livros e no blog que mantém na internet. Os seus posicionamentos sobre educação tem sido fonte para inúmeras matérias publicadas na imprensa escrita e falada.

Foi essa biografia que a levou, em maio de 2016, à titularidade da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do Rio Grande do Norte, por meio de convite direto do Governador do Estado. A sua gestão foi marcada pelas parcerias com institutos e fundações e pela formatação de seis programas prioritários para cumprimento do plano estadual de educação, abrindo caminhos para as escolas estaduais atingirem a desejada qualidade de ensino. As escolas de tempo integral e a rede de ensino profissional e técnico estão entre os maiores legados da sua gestão.

Alguns dias antes de deixar o cargo de secretária de estado, Cláudia foi designada para ser membro titular do Conselho Estadual de Educação, nos próximos quatro anos, por ato do Governador do Estado, atividade que passa a conciliar com o trabalho na escola e no IDE.

Clique aqui e faça o download do currículo de Cláudia Santa Rosa.